Controle para 5

exemplo de imagem
Livro Digital
(4)
Revista digital sobre games produzida por alunos do 8o ano do Colégio Equipe – São Paulo.

detalhes

Disciplina

Português

Tipos de Mídias

Livro Digital

Etapas, anos e modalidades

8º ano EF, 9º ano EF

Sugerido por

Modalidade de Ensino

Comentários

Compartilhe sua experiência de uso

Flavia Krug: Excelente ideia!
Icn pessoa
Jadiel Gomes Alves: Por ser o último de uma etapa, requer um trabalho e esforço minucioso de ambas as partes.

Materiais do professor relacionados

Livro Digital

1ª aula A aula pode ser iniciada convidando os alunos para refl eƟ r sobre as correspondências. Professor, relate para os seus alunos o objeƟ vo desta aula, o que irá ser estudado, por exemplo: “Sempre que escrevemos para alguém que está distante de nós estamos nos correspondendo. Há vários Ɵ pos de correspondência, mas nesta aula serão trabalhados apenas quatro deles: carta, bilhete, convite e e-mail”. Feito isso, ressalte que cada Ɵ po tem fi nalidades diferentes; e convide-os a se agruparem para que pesquisem em sites de busca, como o Google (www.google.com.br), o bing (www. bing.com), o altavista (www.altavista.com.br) através do laptop educacional ou de seus telefones móveis, sobre as caracterísƟ cas e fi nalidades de cada um dos Ɵ pos de gêneros relatados e, em seguida, promova um debate entre eles e solicite que elaborem um conceito para cada gênero, que poderá ser feito no fórum de uma comunidade do Orkut (www.orkut.com), criado anteriormente pelo professor. Professor, informe aos(às) alunos(as) que para se fazer uma busca de forma efi caz, podemos uƟ lizar alguns recursos, como: colocar o assunto pesquisado entre aspas, optar por uma busca avançada, onde podemos estabelecer o formato de arquivos que queremos, o idioma etc. Logo após, poderá propor um diálogo sobre os conceitos criados e, ainda poderá ser sugerido que, em grupo, seja confeccionado um cartaz com as caracterísƟ cas e fi nalidades de cada gênero textual pesquisado. Esse cartaz poderá ser exibido em sala para consulta, quando necessário. 2ª aula O professor poderá iniciar a aula com uma roda de conversa sobre a aula anterior, relembrando com os alunos os gêneros textuais estudados, suas caracterísƟ cas e fi nalidades; isso pode ser feito uƟ lizando, como auxílio, o cartaz exposto em sala. Logo após, seria interessante a exibição de cenas do fi lme Central do Brasil, pois o mesmo aborda a escrita de cartas para analfabetos. Após a exibição do vídeo, propor aos alunos que analisem as cenas do fi lme visto, e escrevam sobre a importância do gênero carta como meio de comunicação entre pessoas. É importante enfaƟ zar neste momento, que o gênero carta serviu para contar acontecimentos, senƟ mentos e emoções das personagens do fi lme; pessoas que estavam distantes dos seus entes queridos. Seria interessante explorar as diferenças entre registro formal e informal, mostrando como as pessoas do fi lme falam, e como a protagonista escreve, explicando que, muitas vezes, escrever é diferente de falar e, ainda, que a linguagem (formal/informal) empregada na escrita de uma carta está diretamente relacionada ao grau de familiaridade que se tem com o desƟ natário. Neste momento, seria ideal chamar a atenção do aluno para o fato de que cada pessoa tem seu jeito próprio de falar e escrever, usado para comunicar. Mas, que em determinadas situações, como, por exemplo, quando escrevemos uma carta para o prefeito de nossa cidade reclamando de algum problema em nossa rua ou nosso bairro, o registro usado deve ser diferente, o registro formal – modalidade que obedece à norma padrão. Logo após, propor aos alunos que enviem uma mensagem SMS, através do telefone móvel, na linguagem informal, para um colega de sala e um e-mail na linguagem formal para a direção da escola, com cópia para o professor. 3ª aula A aula poderá ser iniciada retomando os e-mails enviados à direção da escola, na linguagem formal; observando e elencando os erros e acertos encontrados nos e-mails para que os alunos possam perceber as falhas que possam exisƟ r. Em seguida, uƟ lizando o TwiƩ er (www.twiƩ er.com), propor aos alunos que escrevam um convite para os seus seguidores, não esquecendo de uƟ lizar as caracterísƟ cas do gênero convite. Logo após, esse texto poderá ser lido em sala de aula para que os colegas possam idenƟ fi car os erros e acertos do convite recebido. Com relação ao gênero bilhete, é preciso que o professor ressalte a ideia de que os bilhetes escritos à mão estão sendo subsƟ tuídos pelos scraps. Dessa forma, dividindo os alunos em dupla, deve-se sugerir que uma pessoa da dupla envie um “bilhete” (scrap) para seu colega, através do Facebook (www.facebook. com), uƟ lizando a linguagem informal. O outro membro da dupla deverá respondê-lo, uƟ lizando a linguagem formal. Lembrando que essas ações deverão ser mediadas pelo professor.

Fav
Áudio
(3)
Áudio com segundo capítulo da história que se passa em um vilarejo que tem seu rio ameaçado pela derrubada da mata ciliar.
Fav
Animação
(2)
Animação musical infantil com legenda que permite à criança, em fase inicial do processo de alfabetização, fazer o ajuste entre o que está cantando e o que está escrito.
Fav

Outros usuários também visitaram

Livro Digital

1ª aula A aula pode ser iniciada convidando os alunos para refl eƟ r sobre as correspondências. Professor, relate para os seus alunos o objeƟ vo desta aula, o que irá ser estudado, por exemplo: “Sempre que escrevemos para alguém que está distante de nós estamos nos correspondendo. Há vários Ɵ pos de correspondência, mas nesta aula serão trabalhados apenas quatro deles: carta, bilhete, convite e e-mail”. Feito isso, ressalte que cada Ɵ po tem fi nalidades diferentes; e convide-os a se agruparem para que pesquisem em sites de busca, como o Google (www.google.com.br), o bing (www. bing.com), o altavista (www.altavista.com.br) através do laptop educacional ou de seus telefones móveis, sobre as caracterísƟ cas e fi nalidades de cada um dos Ɵ pos de gêneros relatados e, em seguida, promova um debate entre eles e solicite que elaborem um conceito para cada gênero, que poderá ser feito no fórum de uma comunidade do Orkut (www.orkut.com), criado anteriormente pelo professor. Professor, informe aos(às) alunos(as) que para se fazer uma busca de forma efi caz, podemos uƟ lizar alguns recursos, como: colocar o assunto pesquisado entre aspas, optar por uma busca avançada, onde podemos estabelecer o formato de arquivos que queremos, o idioma etc. Logo após, poderá propor um diálogo sobre os conceitos criados e, ainda poderá ser sugerido que, em grupo, seja confeccionado um cartaz com as caracterísƟ cas e fi nalidades de cada gênero textual pesquisado. Esse cartaz poderá ser exibido em sala para consulta, quando necessário. 2ª aula O professor poderá iniciar a aula com uma roda de conversa sobre a aula anterior, relembrando com os alunos os gêneros textuais estudados, suas caracterísƟ cas e fi nalidades; isso pode ser feito uƟ lizando, como auxílio, o cartaz exposto em sala. Logo após, seria interessante a exibição de cenas do fi lme Central do Brasil, pois o mesmo aborda a escrita de cartas para analfabetos. Após a exibição do vídeo, propor aos alunos que analisem as cenas do fi lme visto, e escrevam sobre a importância do gênero carta como meio de comunicação entre pessoas. É importante enfaƟ zar neste momento, que o gênero carta serviu para contar acontecimentos, senƟ mentos e emoções das personagens do fi lme; pessoas que estavam distantes dos seus entes queridos. Seria interessante explorar as diferenças entre registro formal e informal, mostrando como as pessoas do fi lme falam, e como a protagonista escreve, explicando que, muitas vezes, escrever é diferente de falar e, ainda, que a linguagem (formal/informal) empregada na escrita de uma carta está diretamente relacionada ao grau de familiaridade que se tem com o desƟ natário. Neste momento, seria ideal chamar a atenção do aluno para o fato de que cada pessoa tem seu jeito próprio de falar e escrever, usado para comunicar. Mas, que em determinadas situações, como, por exemplo, quando escrevemos uma carta para o prefeito de nossa cidade reclamando de algum problema em nossa rua ou nosso bairro, o registro usado deve ser diferente, o registro formal – modalidade que obedece à norma padrão. Logo após, propor aos alunos que enviem uma mensagem SMS, através do telefone móvel, na linguagem informal, para um colega de sala e um e-mail na linguagem formal para a direção da escola, com cópia para o professor. 3ª aula A aula poderá ser iniciada retomando os e-mails enviados à direção da escola, na linguagem formal; observando e elencando os erros e acertos encontrados nos e-mails para que os alunos possam perceber as falhas que possam exisƟ r. Em seguida, uƟ lizando o TwiƩ er (www.twiƩ er.com), propor aos alunos que escrevam um convite para os seus seguidores, não esquecendo de uƟ lizar as caracterísƟ cas do gênero convite. Logo após, esse texto poderá ser lido em sala de aula para que os colegas possam idenƟ fi car os erros e acertos do convite recebido. Com relação ao gênero bilhete, é preciso que o professor ressalte a ideia de que os bilhetes escritos à mão estão sendo subsƟ tuídos pelos scraps. Dessa forma, dividindo os alunos em dupla, deve-se sugerir que uma pessoa da dupla envie um “bilhete” (scrap) para seu colega, através do Facebook (www.facebook. com), uƟ lizando a linguagem informal. O outro membro da dupla deverá respondê-lo, uƟ lizando a linguagem formal. Lembrando que essas ações deverão ser mediadas pelo professor.

Fav
Áudio
(3)
Áudio com segundo capítulo da história que se passa em um vilarejo que tem seu rio ameaçado pela derrubada da mata ciliar.
Fav
Animação
(2)
Animação musical infantil com legenda que permite à criança, em fase inicial do processo de alfabetização, fazer o ajuste entre o que está cantando e o que está escrito.
Fav